Uma em cada cinco pessoas usam antibióticos sem prescrição médica: revela estudo divulgado pelo INS

Realizou-se no passado 27 de Março, em Maputo, o I Simpósio Nacional sobre Resistência ao Uso Racional de Antimicrobiano que teve como objectivo divulgar a informação estratégica sobre o uso racional de antimicrobiano na saúde humana e animal e promover discussão sobre os principais desafios e oportunidades no combate à resistência aos antimicrobianos no país. 

Segundo  Aquino Nhantumbo, coordenador de plataforma de observação de uso racional de antimicrobiano, este trata-se de o primeiro evento que o Ministério de Saúde, através do Observatório Nacional de Saúde realiza com vista (i) a melhorar a consciencialização e a compreensão do uso racional de antimicrobianos, (ii) fortalecer o conhecimento do seu uso através da divulgação de dados de vigilância e pesquisa, (iii) reduzir a incidência de infecções hospitalares e (iv) optimizar o uso dos agentes antimicrobianos.

Aquino realçou que a administração inedaquado dos antimicrobianos, especialmente os antibióticos é agravada pela falta de conhecimento sobre o seu uso que resulta na rápida disseminação de bactérias patogénicas que tornam doenças normalmente tratáveis de difícil tratamento ou ainda incuráveis. 

Neste simpósio foram apresentados e discutidos vários resultados e planos de estratégia, sobre consumo, uso e resistência aos antimicrobianos, com especial enfoque para o uso de antibióticos onde resultados preliminares de um estudo realizado Instituto Nacional de saúde mostrou que uma em cada cinco pessoas usam antibióticos sem prescrição médica, e vários factores estão por de traz desta prática.